sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Um Católico Comum

Ah, mas você é de algum movimento? Não é? Ah já sei, faz parte de uma ordem terceira... Também não?! Não frequenta nenhum grupo de jovens? É de uma prelazia? Nem isso? Então, você participa de uma comunidade, né? Não participa?!?! Bem, você vai então ao seminário? Nem ao Mosteiro? Já sei!!! Missionário, certo? Não vai????? Ah, você vai casar... Muito bem. Já ouviu falar no ecc? Não tem vontade de ir?? Hum... o que você é então?"

É tão difícil para o povo hoje conceber que se pode ser um católico comum, alguém simplesmente católico, sem nenhum adicional? Tem sempre que fazer parte de um clubinho ou grupo de jovens específico? Ou ser vocacionado a "missionário de vila-nhocunhé do raio que o parta"? Não basta o Batismo e demais Sacramentos de iniciação; frequentar sua paróquia, ter um confessor e diretor; cumprir os Mandamentos e se aperfeiçoar no crescimento da Caridade? Tem necessariamente que estar num "time juvenil" e vestir camisa de poliéster com uma estampa mal feita que parece um abadá? Nunca vi isso no catecismo. Se houver, por favor, alguém me mostre.

É tempo de dizer: por um Catolicismo "geral", comum. Sem raridades ou clubismos. Basta a Tradição, Magistério, boa doutrina, bons pastores tradicionais e bons amigos. Pronto.

Quanto menos católicos temos, mais "igrejeiros" surgem.

Ser raro não é legal. Eu admiro o homem ordinário.

#André Abdelnor Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário