quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Juventude Católica

“Juventude é doença” , “falou em jovem eu já escondo a carteira”; são algumas dos ditados que se costuma usar em tom cômico em alguns recintos internéticos; isto se deve a fato de que a juventude é um tempo de confusão e incertezas, onde no mais das vezes temos uma multidão de idiotas presunçosos, que tal qual o filho pródigo, dissipam a herança de seus antepassados, chafurdando com os porcos. Pensemos, por exemplo, no caos das repúblicas estudantis ou nas populares baladas. 

Este abjeto modelo juvenil é o que nos oferece o mundo, diferente é, porém, o caminho do cristão.

Meditemos alguns momentos sobre a vida de São Luís Gonzaga, o padroeiro da mocidade católica:
  • Aos quatro anos de idade São Luís fora iniciado na carreira militar. O pai logo mandou fazer uma couraça e um elmo adequado a seu tamanho, e o colocava para marchar junto dele na linha de frente do exército. Tal experiência em tão tenra idade, forjou-lhe a virtude fortaleza cuja expressão vemos em sua firme e decidida vontade, bem como em suas heroicas penitencias.
  • Certa feita, na convivência com os soldados, ouviu alguns palavrões impudicos, e passou a repeti-los sem saber o significado. Foi então repreendido, após isso fez o firme propósito de jamais utilizar sua língua para proferir imundices. Propósito este que cumpriu fielmente.
  • Posteriormente, aos nove anos fizera diante de uma imagem da Santíssima Virgem um voto perpétuo de castidade; e desde então disciplinou seu corpo com severas penitencias para manter-se fiel a tal promessa.
  • Próximo a adolescência, uma vez que compreendeu seu chamado a vocação sacerdotal, Luís não hesitou em renunciar ao trono real, e as honrarias de sua estripe familiar. 
Enquanto São Luís Gonzaga é um jovem viril, casto, humilde e decidido, o que vemos na juventude mundana? Homens fracos, devassos e avarentos. 

Luís, um soldado; o jovem moderno um pacifista chorão; Luís tão casto que recebeu o título de Serafim Encarnado; o neopagão juvenil escravo dos prazeres da carne; Luís resoluto e decidido; o homem do mundo, inconstante, incapaz de fazer escolhas definitivas;

E você, caro leitor? A quem quer imitar? São Luís Gonzaga, Serafim Encarnado, Anjo de Castidade, Padroeiro da Juventude Católica; ou algum youtuber teen, artista da moda e seus amiguinhos mundanos? A virtude ou o vício? O pão do céu, ou a lavagem dos porcos?

Aos homens que escolheram de Fé, rezemos implorando a intercessão de São Luís Gonzaga:
Ó Luiz Santo, adornado de angélicos costumes, eu indigníssimo devoto vosso, vos recommendo singularmente a castidade da minha alma e do meu corpo. Rogo-vos, por vossa angélica pureza, que intercedais por mim ante o Cordeiro lmmaculado, Christo Jesus, e sua Mãe Santíssima, a Virgem das Virgens, e me preserveis de todo o peccado grave. Não permitais que eu seja manchado com nódoa alguma de impureza; mas, quando me virdes em tentação ou perigo de peccar, afastai de meu coração todos os pensamentos e affectos impuros, e, despertando em mim a lembrança da eternidade, e de Jesus crucificado, imprimi profundamente no meu coração o sentimento do santo temor de Deus ; e inflammai-me no amor divino, para que, imitando-vos na terra, mereça gozar de Deus convosco no Céu. Ámen

Nenhum comentário:

Postar um comentário