segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Justiça e Misericórdia


2ª Semana da Quaresma - Segunda-feira
Primeira Leitura (Dn 9,4b-10)
Responsório (Sl 78)
Evangelho (Lc 6,36-38)

A liturgia de hoje parece um tanto quanto paradoxal, a primeira leitura nos fala da realidade do castigo, enquanto o Evangelho nos fala de misericórdia, como é possível? A resposta é bem simples: misericórdia, miserere; para que alcancemos a misericórdia de Deus, por primeiro temos de reconhecer-nos miseráveis, reconhecer nossas culpas, nossos pecados, e então de coração contrito clamarmos ao Senhor Deus que nos socorrerá.

É o que faz o profeta Daniel, em nome dos Isralitas:
Eu te suplico, Senhor, Deus grande e terrível, que preservas a aliança e a benevolência aos que te amam e cumprem teus mandamentos; temos pecado, temos praticado a injustiça e a impiedade, temos sido rebeldes, afastando-nos de teus mandamentos e de tua lei; não temos prestado ouvidos a teus servos, os profetas, que, em teu nome, falaram a nossos reis e príncipes, a nossos antepassados e a todo o povo do país. (Dn 9, 4b-6)
Note o leitor a estrutura da oração de Daniel: 1°) O reconhecimento do poder de Deus “grande e terrível”; 2°) A consciência do pecado e das culpas contraídas: temos pecado, afastando-nos de teus mandamentos e de tua lei; não temos prestado ouvidos a teus servos, os profetas. Porém, diferente de Daniel, este tempo não teme a Deus “grande e terrível”; e embora tenha igualmente se afastado dos mandamentos e ignorado a voz dos profetas, esperamos alcançar o perdão e a misericórdia sem a contrição e a confissão. Será, pois, possível? Não.

Aí de nós filhos desta geração apóstata!

Reconheçamos, pois, nossa miséria, e conscientes de nossa insignificância, clamemos ao Senhor misericórdia, bem como a manifestemos para com o próximo. Lembremo-nos também das palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus grande e terrível, a Santa Faustina:
Eu uso os castigos só quando elas mesmas me forçam a isso; Minha mão segura a contragosto a espada da justiça. Antes do Dia da Justiça enviarei o Dia da Misericórdia. (Diário de Santa Faustina, p. 457)
Estamos nós ainda no tempo da misericórdia, arrependamo-nos e façamos penitência, pois dentro em breve virá o Dia da Justiça, e aí de nós!

***

No dia de hoje, também celebramos a festa de São Porfírio, santo bispo, que inspirado pelo Espírito Santo pressionou as autoridades daquela época, conseguindo com que os templos pagãos fossem fechados e os ídolos destruídos. Que São Porfírio interceda por nosso clero, para que  sejam movidos pelo santo zelo pela glória de Deus, e militem pelo fim das idolatrias e extinção de toda forma de paganismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário