terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Deus e Armas


2ª Semana da Quaresma - Terça-feira
Primeira Leitura (Is 1,10.16-20)
Responsório (Sl 49)
Evangelho (Mt 23,1-12)


1.<Nem façais que vos chamem de mestre, porque um só é vosso Mestre, o Cristo. (Mt 23, 10)>; eis o que diz-nos hoje o Senhor. No mundo de hoje, abundam tantos falsos mestres, gurus que pretendem ensinar as mais variadas doutrinas, que se oferecem a guiar a vida dos homens. Tais supostos sábios habitam os mais diversos recantos: as cátedras das universidades, os arredores da internet, as telas de televisão, o mundo empresarial e etc. Quão infeliz é aquele que deixa-se guiar por tais homens, mais ainda é aquele que julga-se verdadeiro mestre. Um só é nosso Mestre, o Cristo! Só Ele tem Palavra de Vida Eterna, é Ele a luz que ilumina nossa vida, é sua doutrina aquela que julga todas as demais, jamais o contrário. Reconheçamos nossa miséria e aproximemo-nos do Divino Salvador.

2.No dia de hoje também celebramos a memória de São Gabriel de Nossa Senhora das Dores, o Padroeiro dos Atiradores, título este que recebeu graças a um curioso episódio em sua vida:
Em 1860, após a batalha de Castelfidardo, cerca de vinte mercenários renegados, ligados ao exército de Garibaldi, apareceram na cidade para pilhá-la e aterrorizar os moradores. Irmão Gabriel, com a autorização do reitor do seminário, caminhou desarmado para o centro da cidade para enfrentar os terroristas. Um dos mercenários, que estava prestes a violentar uma jovem, ridicularizou-o por vir sozinho enfrentá-los.

Possenti, numa rápida manobra, tirou o revólver da cintura do mercenário e ordenou que ele soltasse a mulher. Enquanto o homem obedecia ele rendeu outro soldado que se aproximava e apropriou-se de outro revólver. Ao verem o que estava acontecendo, os demais mercenários acorreram em defesa dos companheiros para subjugar o impertinente monge.

Nesse momento, uma pequena lagartixa atravessou a rua entre Possenti e a tropa que se aproximava. Quando por um breve momento o animal parou, Possenti fez pontaria e matou-o com um único tiro certeiro. Apontando agora os dois revólveres para os mercenários, Possenti ordenou que todos largassem suas armas imediatamente. Diante da exibição de pontaria, os soldados obedeceram. Possenti ordenou, também, que eles apagassem todos os focos de incêndio que haviam iniciado e que deixassem a cidade imediatamente.

Após a retirada dos mercenários, o povo agradecido levou Possenti nos braços até o seminário chamando-o de "O salvador de Isola". [1]
Que neste tempo onde falsos mestres tentam enfiar-nos goela abaixo a doutrina pacifista, peçamos a intercessão de São Gabriel, que em vida não hesitou em usar das armas para proteger a vida inocente.

São Gabriel de Nossa Senhora das Dores, rogai por nós!

3. Para finalizar as reflexões de hoje, recordo-me de uma antiga canção americana:

I'm here in my back of the woods
Where God is great and guns are good

Nenhum comentário:

Postar um comentário