domingo, 7 de janeiro de 2018

Santos Reis: Sabedoria e Humildade


Solenidade da Epifania do Senhor - Domingo 
Primeira Leitura (Is 60,1-6) 
Responsório (Sl 71) 
Segunda Leitura (Ef 3,2-3a.5-6) 
Evangelho (Mt 2,1-12)

Os sábios reis do Oriente deixaram seus palácios suntuosos, a erudição de sua corte, e foram em caminho, montados em camelos por dias e dias seguindo a estrela. Além de que, foram buscar instrução com os sábios do antigo Israel a respeito das profecias, e então, continuaram sua jornada, parando, por fim, para adorar o Deus Menino em um estábulo.

O que isto nos ensina? Sobretudo que a base da verdadeira sabedoria é a humildade, não a pose. Fosse hoje, nós faríamos o mesmo? Sairíamos de nosso conforto para colocarmo-nos em caminho? Teríamos nós a humildade de desconfiar de nossa sabedoria e buscar a instrução no templo, nas escrituras? Estamos dispostos a acolher a manifestação de Deus nas mais pequeninas realidades?

Eis a diferença entre a verdadeira sabedoria e a erudição demoníaca; a primeira nos leva a Deus, a outra, faz com fechamo-nos em nós mesmos, colocando-nos no lugar de Deus. Pensemos, por exemplo, em outro mago relatado na escritura: Simão, Simão Mago um ''sábio'' a serviço do demônio.

Sem dúvida a história dos três reis não acabou naquele estábulo, depois de adorar o menino Deus, quanto não deve te-los iluminado a Divina Luz? Voltando ao Oriente, talvez teriam eles mandado derrubar antigos ídolos, talvez vendido seus bens e dado aos pobres; quem sabe queimado alguns antigos grimórios blasfemos. Bom, o resto da história dos magos permanece misteriosa ao nossos olhos, ao menos por hora; mas resta-nos a nossa história, como o encontro com o Menino Deus mudou e tem mudado a nossa vida? Eis uma interessante narrativa da qual somos de alguma forma co-autores; que façamos o que estiver ao nosso alcance para que esta não tenha um final trágico: a condenação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário