sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Reflexões da Sagrada Escritura: São insensatos por natureza todos os homens que ignoram a Deus


32ª Semana do Tempo Comum - Sexta-feira
Primeira Leitura (Sb 13,1-9)
Responsório (Sl 18 (19),2-3. 4-5 (R. 2a))
Evangelho (Lc 17,26-37)

1. Atualmente é moda falar de uma suposta sabedoria pagã tradicional, pois, hoje, o próprio livro da Sabedoria , manifesta-se repreendendo severamente os pagãos: <São insensatos por natureza todos os homens que ignoram a Deus, os que, partindo dos bens visíveis, não foram capazes de conhecer aquele que é; nem tampouco, pela consideração das obras, chegaram a reconhecer o Artífice. Tomaram por deuses, por governadores do mundo, o fogo e o vento, o ar fugidio, o giro das estrelas, a água impetuosa, os luzeiros do dia. (Sb 13, 1-2)>.

Ou seja, o que temos na verdade temos uma tolice pagã. Tolos, néscios, insensatos, desde os animistas de ontem, aos idolatras de hoje, tais quais a dita  "nova direita europeia", seguidores das doutrinas de Julius Evola e Alain, bem como os babaquinhas Nova Era, passando até aos modernos mundanos que divinizam o sexo e dinheiro.

2. No Evangelho, Cristo nos recorda o episódio da mulher de Ló. Na ocasião da destruição de Sodoma e Gomorra, quando Ló e seus familiares fugiam avisados pelo anjo, a esposa de Ló com o coração apegado aos bens daquela cidade, a sua vida de outrora, olhou para trás, e fora transformada em uma estátua de sal. Tal episódio está descrito em Gn 19, 1-26 .Não devemos, pois, repetir esta cena em nossas vidas; é preciso que nos desapeguemos deste mundo que passa sem olhar para trás! Todavia, isso não significa que todos nós devamos virar eremitas. O Evangelho prossegue com o exemplo de homens e mulheres exercendo atividades semelhantes: dormir, moer, trabalhar no campo, no entanto um é levado e outro deixado; é um modo de mostrar que o desapego é uma virtude inicialmente interior. Materialmente, estes homens e mulheres usavam dos bens deste mundo de forma semelhante, todavia, a atitude interior era diferente, enquanto alguns vivam acostumados com estas terras, outros viviam como peregrinos, com o coração voltado ao céu, e portanto foram levados, enquanto os demais, deixados para trás.

Precisamos, sobretudo nós leigos, aprender a viver este desapego "no mundo".

Santa Isabel da Hungria, rogai por nós!
São Josemaria Escrivá, rogai por nós!
Viva Cristo Rei!

Nenhum comentário:

Postar um comentário