sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Reflexões da Sagrada Escritura: "Glória in excélsis Deo"


33ª Semana do Tempo Comum - Sexta-feira
Primeira Leitura (1Mc 4,36-37.52-59)
Responsório (1Cr 29,10-12)
Evangelho (Lc 19,45-48)

A semana se aproxima de seu fim, de forma que a meditação litúrgica sobre os livro dos Macabeus vai se encaminhando a sua conclusão. Na primeira leitura, vemos que imediatamente após a vitória, os israelitas, liderados pelos irmãos Macabeus, procedem os ritos de purificação do Templo. O local destinado ao culto divino fora profanado pelos pagãos, fazia-se pois, urgente, desagravar tais atos, e reconsagrá-lo ao Deus Altíssimo. No responsório, cantamos louvores a glória e ao poder de Deus, com o auxilio da primeira carta São Paulo aos Coríntios, já, no Santo Evangelho, estamos diante do episódio em que Nosso Senhor Jesus Cristo, manifesta sua santa ira, expulsando os vendilhões do templo.

O zelo para com o templo, o zelo pela glória de Deus, é sobretudo este o ensinamento de hoje. Dias atrás, discutia eu com alguns amigos se, até que a Igreja resolvesse a bagunça ocasionada pelo Vaticano II, poder-se-ia improvisar um placebo político para o Brasil, talvez algum tipo de nacionalismo ou ideologia de Estado; vaidade das vaidades. O Estado é como a Lua, recebe suas luzes do Sol, que é a Igreja, é preciso, pois, que nós católicos, expulsemos do templo os traidores, hereges, modernistas e apóstatas, sem isto, qualquer especulação política está condenada ao fracasso. Aos domingos, cantamos: <Glória in excélsis Deo, Et in terra pax homínibus bonae voluntátis.> ; só haverá paz, verdadeira paz, onde Deus for honrado e glorificado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário