domingo, 24 de setembro de 2017

O Mal não tem Direitos

Conta-nos o Padre João Piasentin[1], um episódio muito curioso da vida do Beato Pier Giorgio Frassati: 

Um dia viu fixarem cartazes de injúria e calúnia contra o diretor católico, homem digno e patriota.
Não duvidou um instante sequer: arrancou os cartazes.
Ameaçaram-no pela ofensa a liberdade de pensamento. Calmo respondeu: "O erro e a calúnia não tem direito a liberdade. Se encontrar outros cartazes, os arrancarei".

Se é assim com injúrias dirigidas a homens humanos, tanto mais deve ser nosso zelo para coibir e por fim a todas as ofensas e blasfêmias dirigidas a Nosso Senhor Jesus Cristo. 

Obras de arte blasfemas têm sim que ser censuradas. O mal não deve ter direito a liberdade de expressão ou manifestação no espaço público. 

Que iluminados pelo exemplo do Bem-Aventurado Pier Giorgio Frassati, sejam os católicos movidos por esta santa coragem. Lutemos com os meios a nossa disposição para a censura de todas as blasfêmias e ofensas a fé católica, pois o mal não tem direitos.


_______________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário