sábado, 19 de agosto de 2017

A Simplicidade Perturbadora de Aparecida



“Maria foi exaltada acima de todos os coros dos Anjos, e acima de todos os Santos do Paraíso, como Rainha do Céu e da Terra” [1]

No contexto desse ano, na proximidade da festa da Assunção (que no Brasil foi transferida do dia 15 de agosto para o domingo próximo) lia eu o pequeno livreto (pouco mais de 40 páginas) de Fred Jorge: Aparição e Milagres – Nossa Senhora Aparecida; uma “relíquia” publicada a mais de meio século. 

Como nos ensina a escritura, Deus tem uma preferência especial pelos pobres e pequeninos, e os muitos milagres atribuídos a Virgem Negra de Aparecida ilustram de forma esplêndida tais ensinamentos. Em meio a tantas batalhas e conflitos políticos que varriam o século, quis a Virgem se manifestar a rudes pescadores, em um episódio um tanto quanto “tolo” para a consternação dos sábios do mundo. A pesca milagrosa no Paraíba, faz eco ao episódio do primeiro milagre do Messias onde, atendendo a pedido de sua Santíssima Mãe, manifestou sua divindade em meio a simplicidade provinciana de uma falta de vinho em um casamento local. Uma simplicidade perturbadora, mistério para os homens, loucura para os sábios segundo o mundo, alegria para os pobres de espírito, pois deles é o Reino dos Céus.

Na pesca da imagem, veio por primeiro o corpo, seguido da cabeça. Segundo o Pe. Paulo Ricardo, temos aí mais um sinal de Deus que bem conhece a psicologia dos povos: o corpo, o coração. O sentimental povo brasileiro será atraído ao Cristo, por intercessão de Maria, primeiro através de seus sentimentos, seguido depois pela razão, que unirá a cabeça ao corpo, fechando o caminho de conversão. Trajetória essa estranha, igualmente espantosa, espantosa ainda hoje 300 anos depois. Lia eu no jornal local o artigo de um seminarista a resmungar um “exagero mariano” de uma suposta “Mariolatria”, combatida com o Concilio Vaticano II. A devoção dos filhos a Mãe, incomodou este jovem seminarista, que repete o brado serpentino protestante. Não compreendeu ele que o Imaculado Coração de Maria aponta ao Sagrado Coração de Jesus, que toda a emoção do povo simples para com a Mãe Aparecida é o caminho seguro que os conduz aos Sacramentos, ao arrependimento na penitência, e ao diálogo íntimo com Nosso Senhor Jesus Cristo na Sagrada Comunhão.

300 anos das manifestações milagrosas de Aparecida, 100 anos das aparições de Fátima, na proximidade da Festa da Assunção, e o cenário é trágico. A terra consagrada a Virgem, Terra de Santa Cruz, foi infestada de serpentes, a pérfida heresia protestante avança sobretudo sobre os mais pobres e simples, enganando, roubando e perdendo as almas com suas falsificações de milagre. O clero, sociedade consagrada, que devia constituir as fileiras da Milícia da Imaculada, abandona covardemente o campo de batalha, e sob a desculpa do “diálogo ecumênico” entrega as almas dos pequeninos as garras da heresia, e toma parte nos ataques a Senhora. Não é apenas este jovem seminarista, mas tantos padres, bispos e cardeais tomam parte em tal empreitada. Porém, diante de tamanha escuridão as palavras da profecia continuam a ecoar: “Por fim meu Imaculado Coração Triunfará”, para o escândalo dos sábios segundo do mundo, a Mãe Rainha retomará seu a posse de seu Reino, e uma vez mais esmagará a cabeça da serpente infernal, pelas graças infinitas de seu Diviníssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. 
Ó Maria Imaculada, Senhora da Conceição Aparecida, aqui tendes prostrado diante de vossa milagrosa Imagem o Brasil que vem de novo consagrar-se a Vossa Maternal Proteção.
Escolhendo-vos por essencial padroeira e advogada da nossa pátria, nós queremos que ela seja inteiramente vossa. Vossa a sua natureza, vossas as suas riquezas, vossos os campos e as montanhas, os vales e os rios, vossa a sociedade, vossos os lares e seus habitantes, com seus corações e tudo que têm e possuem; vosso enfim, é todo Brasil.
Sim, é Senhora Aparecida, o Brasil é vosso!
Por vossa intercessão temos recebido todos os bens das mãos de Deus e todos os bens esperamos ainda e sempre, por vossa intercessão. Abençoai, pois, o Brasil que vos ama, abençoai o Brasil que vos agradece, abençoai o Brasil que é vosso.
Abençoai, ó Rainha de amor e misericórdia, abençoai, defendei, salvai o vosso Brasil!
Protegei a santa Igreja, preservai a nossa fé, defendei o Santo Padre, assisti os nossos
Bispos, santificai o Nosso Clero, socorrei as nossas famílias, amparai o nosso povo, esclarecei o nosso governo, guiai a nossa gente no caminho do céu e da felicidade.
Ó Senhora da Conceição Aparecida!
Lembrai-vos que somos e queremos ser vossos vassalos e súditos fiéis. Mas lembrai-vos também que somos e queremos ser vossos filhos. Mostrai, pois, ante o céu e a terra que sois a padroeira poderosa do Brasil e a mãe querida de todo povo brasileiro.
Sim, ó Rainha do Brasil, ó mãe de todos os brasileiros, venha sempre mais a nós o Vosso reino de amor, por Vossa mediação, venha a nossa Pátria o reino de Jesus Cristo, Vosso filho e Senhor Nosso. Amem.[2]
________________________________________________________
[1] Catecismo Maior de São Pio X; Instrução sobre as Festas da Santíssima Virgem e dos Santos; Segunda Parte – Das Festas da Santíssima Virgem e das Festas dos Santos; Capítulo V – Da Assunção da Virgem Maria, Questão 176. Editora América, 2015.
[2] Aparição e Milagres: Nossa Senhora Aparecida - Fred Jorge, 1954, pág. 41.

Nenhum comentário:

Postar um comentário