domingo, 16 de abril de 2017

Ressuscitou!



"Deus Santo! Deus Forte! Deus Imortal!"

Os filhos da serpente usaram de todas as suas artimanhas contra o Divino Redentor, em uma rara união entre a vontade popular, o poder político e religioso num consenso blasfemo o Senhor foi condenado a morte, e morte de cruz!

Sofrimento físico, moral e religioso. E em cada momento o tentador lá estava a gritar: ''Salva-te a Ti Mesmo", mas em perfeita fidelidade a vontade do Pai, Cristo o Senhor, o servo sofredor. tudo suportou. E assim, já na cruz a vitória se manifestou: "Tudo está consumado!"; do corpo do cordeiro imaculado jorram sangue e água como fonte de misericórdia para nós. A terra treme, o véu do templo é rasgado, mortos ressuscitam.

Terror, seguido de silêncio. O silêncio do Sábado Santo. E ao amanhecer do Domingo eis o sepulcro vazio: "Ressuscitou!" O poder mundano nada pode contra os desígnios de Deus, a Vida venceu a Morte, o Senhor vive e reina para sempre!

O Preciosíssimo Sangue do Redentor lavou-nos da imundice de nosso pecado, seu sacrifício abriu as portas do céu, desce ao universo uma chuva de graças nesses tempos que são os últimos.

Desconcertando seus inimigos ai está o Senhor, o Rei da Glória, aleluia! Como os anjos cantaram o nascimento do Salvador no Santo Natal, como Simeão alegrou-se diante da salvação que Deus preparou para Israel, assim hoje canta toda a nova criação!

Um Deus tão poderoso, e ao mesmo tempo tão humilde. Mesmo na manifestação de sua glória, de sua Ressurreição, foi tão discreto como em toda a sua vida humana. Apareceu as mulheres, aos discípulos, a sua Santíssima Mãe (uma aparição tão igualmente discreta e silenciosa que sequer se registra nas Sagradas Escrituras). Explica as escrituras as discípulos de Emaús, reconcilia Pedro, vai em resgate a descrença de Tomé.

Quão grande é o Senhor! Quantas maravilhas ele dispensa aos homens ! Como não alegrar-se? Diante de tão maravilhosas graças a Igreja é mesmo capaz de cantar: "Ó feliz culpa, que mereceu tal e tão grande Redentor"

É a Páscoa do Senhor! Alegremo-nos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário