domingo, 9 de abril de 2017

Códigos de Conduta da Direita Tio Patinhas

Nos últimos meses, a Direita Tio Patinhas andava acabrunhada. Também pudera: Trump ganhou nos EUA, o Reino Unido optou por sair da UE e Marine Le Pen lidera as pesquisas na França. No Brasil, Aécio Neves está atolado até o pescoço com as denúncias da Lava-jato e Jair Bolsonaro ganha mais espaço na imprensa. Horrorizados pela hipótese de terem que votar num sujeito que consideram um bronco, extremista, e que demonstra se importar muito pouco com as sensibilidades alheias, eis que surge, das profundezas do ninho tucano uma nova esperança: o prefeito de São Paulo, FHC 2.0 João Doria. 

Quem, além de um tucano admirador declarado de Hillary Clinton, pode representar melhor os ideais da Direita Tio Patinhas? Mas o que seria, então, esse povo?

Trata-se da nossa boa e velha direita burguesa, seja qual for o rótulo que usem para definirem-se a si mesmos (libertário, liberal, liberal-conservador ou até conservadores que só querem conservar o status quo, entre outros) o que os une é a mentalidade secularizada, humanista e igualitária além de, é claro, muita mesquinharia. Preocupar-se com algo mais que a sua conta bancária e as suas boas aparências é coisa de fanáticos religiosos como Dom Marcel Lefebvre e outros católicos reacionários que sonham em voltar para a Idade Média e são tão perigosos quanto militantes do ISIS. 

Para fazer parte desse séquito, você pode ser qualquer coisa, menos católico, sendo admitida apenas a sua versão jujuba e seguidora do Concílio Vaticano II, pode ser até um vegano travesti umbandista, desde que critique o PT e defenda o livre mercado. Dizer que o Estado deve servir a Igreja, entre outras barbaridades contra o credo iluminista, o farão ser visto como uma reencarnação de Tomás Torquemada, comandante da sanguinária Inquisição Espanhola (nem preciso dizer que para a Direita Tio Patinhas, os livros do MEC só mentem quando criticam o capitalismo e a burguesia, o resto é tudo verdade absoluta).

Não se esqueça de dizer umas palavrinhas elogiando o casal Clinton ou no máximo neocons como Bush e John McCain, mas nunca, em hipótese alguma, fale bem de Donald Trump, um sujeito que, apesar de bilionário, traiu a classe burguesa retirando os EUA da Parceria Trans Pacífico. Pecar contra o livre comércio é infinitamente mais grave realizar abortos em escala industrial. 

Não podem faltar, é claro, lágrimas sobre os mortos durante os "anos de chumbo" e a truculência do Regime Militar. Como bom amante da democracia, diga que todas as ditaduras são ruins e Castelo Branco e Emílio Médici são tão maléficos quanto Stalin e Pol Pot. Pouco importa que a esquerda estivesse querendo transformar, na marra, o país numa grande Cuba, tudo se resolveria em civilizados debates acadêmicos, com direito a chazinho com biscoitos no intervalo...

Existem vários outros códigos de conduta para você ser um bom direitista tio patinhas, mas, em linhas gerais, acredite sempre no primado do econômico e no livre mercado como o redentor do mundo, e nunca fale nada que faça seu inimigo fazer cara feia e ferir sua reputação de pessoa equilibrada. A ficha de filiação ao Novo ou ao PSL estará esperando por você.

***

PS: Com os últimos bombardeios dos Estados Unidos a Síria, Trump pode ser reabilitado, afinal, ele pode estar continuando o esforço de Bush e Obama para espalhar a democracia pelo mundo. Apesar de muito delicados e zelosos pela sua imagem, a direita tio patinhas defende que o mundo inteiro deve rezar pelo credo liberal-democrático, nem que seja na porrada.

#Roald_Admunsen

Nenhum comentário:

Postar um comentário