quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Tempos difíceis criados por homens fracos...


''Tempos difíceis criam homens fortes, homens fortes fazem tempos fáceis, tempos fáceis criam homens fracos e homens fracos fazem tempos difíceis.’’ – O  aforismo, cujo autor se desconhece, tem-se difundido viralmente pelas redes; tal verdade tão intuitiva e plausível quanto uma lei matemática se torna ainda mais escandalosamente evidente nestes tempos de transição, tempos difíceis criados por homens fracos. É de uma obviedade ululante para qualquer um que nossa sociedade caminha para o total caos (cuidadosamente arquitetado para de forma dialética pressionar o clamor pela criação de um totalitarismo global). Hoje, enquanto escrevo este texto ainda ecoam notícias sobre a explosão de criminalidade no estado brasileiro do Espirito Santo e, no âmbito eclesial leio a triste notícia da covardia do alto clero ao permitir a celebração de uma cerimônia anglicana na Basílica de São Pedro. Tempos difíceis criados por homens fracos...

Estas são apenas as manifestações mais recentes, poderia citar também o genocídio de bebês em clinicas de aborto espalhadas pelo mundo, o desprezo para com os anciãos e seu abandono a eutanásia, a proliferação da sodomia, a difusão das mais burlescas seitas protestantes em nosso país, a onda de corrupção, divórcios, imoralidades et cetera. E, em meio a este caos onde estão os varões da Igreja? Alguns covardemente refugiados nas estruturas, buscando a todo o custo o a adaptação ao mundo moderno, mesmo em seus aspectos mais desumanos; outros estão confusos, alienados em sistemas emburrecedores e sentimentais, dançando coreografias imbecis enquanto o mundo edificado por seus antecessores desaba ao seu redor e os inimigos da Fé atacam por todos os lados.

-Esto Vir! Diz Davi a Salomão: seja homem! Os tempos difíceis chegaram, e é hora dos homens despertarem, e com fortaleza e coragem consertarem a bagunça permitida por seus antepassados recentes. Seja qual for sua vocação, a vivência dela de modo correto, católico, exige hoje uma fortaleza descomunal. Ao padre é exigida profunda coragem e sabedoria para proteger seu rebanho das heresias, chamar o mal por seu nome, e estar disposto a enfrentar perseguições da mídia, e de seus superiores (muitos deles hereges infiltrados). Ao pai de família se exige igualmente coragem, de dizer não a mentalidade contraceptiva, de criar e educar uma família numerosa em uma época onde as escolas fazem de tudo para perverter as crianças já na tenra infância ensinado abominações contrárias a lei natural, tal qual a Ideologia de Gênero. Tanto mais será exigido daqueles que atuam no campo cultural e politico: quantas falsas doutrinas não gozam hoje de prestigio? Quantos ataques a Igreja, a lei natural, a dignidade humana, não triunfam pelo silêncio daqueles que deveriam estar gritando?

Coragem! Levantai-vos Soldados de Cristo! Mas, não só coragem é exigida nestes tempos; de que vale a bravura sem a inteligência? Tal como sugere os símbolos dos templários (imagem ao lado), deve o varão católico buscar o ideal da coragem e da prudência, a bravura de Rolando e a sabedoria de Oliveiros

Mas como? Como uma geração de homens criada a leite com pera e ovo maltine pode conseguir as virtudes necessárias para tão árduo combate? Expondo-se ao risco, enfrentando o sofrimento, o incômodo, a dor; e imitando os passos dos que nos precederam no combate, sobretudo pela oração implorando a Deus esta virtude que nos foi dada pelo Sacramento do Crisma, essa santa fortaleza dom do Espirito Santo.O mesmo se pode dizer para a sabedoria, também um dom do Divino Espírito que deve ser alimentado com o bom estudo, o estudo da reta e perene doutrina católica, e o corajoso combate intelectual aos erros e heresias.

"(...) Deus não nos deu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e de sabedoria." -  2Timóteo, 1:7

Nenhum comentário:

Postar um comentário