segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A originalidade católica e os robozinhos protestantes

No dia em que a liturgia proclama: “Se um reino se divide contra si mesmo ele não poderá manter-se. Se uma família se divide contra si mesma, não poderá manter-se“ , trago para este BunKer um cômico e ilustrativo vídeo de uma discussão entre hereges protestantes.



O motivo da discussão não ficou claro mas, reparem na mulher: seu vocabulário viciado, seu modo de expressão histérico, falando não desde dentro  mas, de um personagem, uma personalidade grupal, um esterótipo, uma lavagem cerebral de uma seita fuleira.

''Aleluia, tá reprendido'' grita a mulher, usado da Bíblia como porrete, o homem ao menos demonstra mais naturalidade, e responde: "vá lavar uma roupa".

A religião católica não é assim, ela não te transforma em ''robozinho''. Basta comparar a vida dos santos, um Santo Tomás de Aquino e uma Santa Terezinha, tão diferentes, e tão igualmente católicos; ou de um Chesterton e um Benson, ambos católicos, ambos escritores, ambos ingleses, tão igualmente católicos, personalidades tão originais e diferentes.

O espírito faz florescer na Igreja, na Igreja de Cristo a Santa Igreja Católica Apostólica Romana, ao mesmo tempo diversidade e unidade. A unidade na diversidade.

As seitas protestantes por outro lado suscitam homogenização e confusão. Vemos a confusão nos dois infelizes que não se entendem, e a homogenização na personalidade da mulher, um robozinho feito sob medida em alguma seita de esquina, do qual encontraremos inúmeros exemplares exatamente iguais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário