terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Viralatismo Primeiro-Mundista


É com grande alegria que disponibilizo um espaço nesse humilde Bunker para a pucliação de um texto de autoria de meu amigo, irmão de Fé  e agente da KGB Roald_Admunsen. Nas linhas que se seguem, mais um dos vícios da neodireita americanóide é desvelado: seu viralatismo pelo dito ''primeiro mundo''.

***

O primeiro-mundismo da direitola brasileira é tão irritante quanto o terceiro-mundismo da esquerda. Esquerdistas culpam os países ricos pelos nossos problemas, direitistas os idolatram e colocam suas sociedades e políticos como grandes exemplos (salvo esquerdistas declarados), a ponto de desprezarem a cultura e as origens do Brasil. Trata-se de uma nova roupagem do nosso bom e velho complexo de vira-lata: são como a piriguete que só se sente feliz quando bancada pelo macho rico.

Esse pensamento se torna bastante contraditório quando falamos de supostos conservadores contrários ao gramscismo, pois qualquer um que não seja um infeliz que leia a grande mídia e se ache bem informado sabe que a vanguarda do programa da revolução cultural está justamente nos países que a direita tanto ama. Que liberais e libertários prestem tanta devoção ao primeiro mundo até se entende, afinal aceitam e promovem a degeneração que tanto grassa por aquelas bandas, mas por que raios um conservador deveria tomar como exemplo países em que o aborto é totalmente legalizado desde os anos 70?

Confrontados com os fatos, a direita brasileira bota a culpa na KGB, nos russos, nos comunistas (esta tem lá seu fundo de verdade, mas está longe de explicar todo o problema), nos extraterrestres, em tudo, menos na apostasia dos seus povos e no sistema político liberal-democrático. O primeiro mundo pra essas pessoas é uma espécie de virgem imaculada que só pode errar se profanado por forças externas, mal sabendo eles que a democracia liberal, ainda que erigida em bases aparentemente conservadoras, produz inevitavelmente na degeneração social e na marginalização da Igreja.

A direitola brasileira podia ao menos ser mais honesta consigo mesma, largar esse conservadorismo de butique e se assumir liberal de uma vez. E sem gritarias contra aborto, gayzismo, feminismo e invasão islâmica, afinal tudo isso acontece nos países que eles adoram, muitas vezes com o apoio da direitola de lá.



#Roald_Admunsen

Nenhum comentário:

Postar um comentário